quinta-feira, 24 de setembro de 2009

PAI AMANTE CHEFE DE FAMILIA COMO SER


Filosofando

Todas as quintas

Odion Monte

- Coisa que a ciência não tem como explicar ou resolver. E o estudioso ou cientista que disser que tem a solução está mentido, é um verdadeiro mentiroso, pois se essas verdades fossem absolutas, a humanidade seria perfeita, e o mundo um paraíso, o reino do céu, onde a paz eterna talvez se tornasse um grande tédio.



- Pai, quando cobramos de mais dos filhos, somos uns chatos, velhos ranzinzas, antigos, não estamos com nada, e que as nossas formas de pensar são ultrapassadas, que a vida é moderna e que nós é que temos que mudar, se atualizar, ver o mundo de uma outra forma, sermos mais atuais. Mas como mudar tudo isso? Se desde que o mundo é mundo, tudo continua da mesma forma, os rios em seus lugares, as montanhas não andam, os mares permanecem parados, os vulcões vivos ou mortos, não se mexem. Somente os jovens que vão envelhecendo, e em suas juventudes falam em mudanças, mas quando envelhecem, permanecem como os seus velhos pais, apenas aumentam a destruição das naturezas.

- Amantes, se amamos demais somos pegajosos, vivemos colados, não damos uma folga um ao outro, queremos saber aonde vamos, onde estamos, ligamos a toda hora, beijamos muito, abraçamos muito, queremos fazer sexo demais, é um verdadeiro grude. Porém quando amamos e somos mais acometidos, é porque não nos importamos, de nada lembramos, das datas importantes, da primeira paquera, do primeiro encontro, do primeiro beijo, do primeiro abraço, do primeiro sexo, da data do casamento, do aniversário um do outro, da falta de flores, dos presentes. Complicado entender o sentimento do animal humano, enquanto que os não humanos é mais fácil o entendimento.



- Chefe de família, se trabalha muito vendo o crescimento e desenvolvimento da família, sempre se diz que ele nunca tem tempo para as diversões com a família, que está sempre ocupado, que é muito dedicado, mas esquece do principal a família. Se domina a família, se torna autoritário, quer mandar em todos. E se dá a liberdade, é um “banana”, não manda em nada, os filhos fazem o que querem e ele é sempre o culpado de tudo e por tudo. Entenda o ser humano se poder, afinal você é um deles. Ainda bem que somos assim, com desejos, sem limites, sem decisões exatas, sem ponto final, pois se o pouco nos satisfizesse, ainda estaríamos no ponto de partida, porém também não sabemos aonde vamos, talvez isto que seja o gostoso da vida, o grande mistério da humanidade. E a decisão de sermos ou não sermos, é única e exclusivamente nossa.
- Cruz, cruz, cruz, cruz... E ainda na nossa infinita vida, nos é colocada uma cruz sobre nossa cabeça, para simbolizar o nosso sofrimento, ou para que eternamente não esqueçamos o que de mal fizemos, nos dão eternamente o símbolo da cruz...
Odion Monte - contador, especialista em Filosofia Política pela Universidade de Teologia e Filosofia de Rio Branco - Acre (SINAL).É ainda, especialista em Pericia Judicial – UCG – Universidade Católica de Goiás - Bel. em Ciências
Contábeis - FIRB/FAAO/AC Artigos anteriores:

O MEU O NOSSO CEMITÉRIO DE CRUZES DE CADA DIA
A ARTE DE MENTIR
A CASA CAIU
AUTO-ESCOLAS EDUCAÇÃO OU SIMPLES COMÉRCIO
QUANDO OS RATOS AUMENTAM O QUEIJO DIMINUI
DA FAMILIA À CALÇADA E DA CALÇADA À LAMA
AS RUAS COMO CASA DE MORADA
Crimes e violência, onde está a segurança
A DITADURA FRIA E SEM LIMITES
CICLISTA O PIOLHO DO TRANSITO
A FRÁGIL DEMOCRACIA NUM BARRIL DE PÓLVORA
O PARTIDO CAMALEÃO
E NA FLORESTA RUFAM OS TAMBORES VERMELHOS
CUPINS VERMELHOS NA FLORESTA VERDE
A FARRA NA CASA DOS BRINQUEDOS
O QUE NÃO ENXERGAMOS POR TRÁS DA “MAQUIAGEM”
O “CHICOTE” QUE AÇOITA SEM CORTE NA PELE
Manchas negras na paisagem verde
A política sem definição

Enviar para o Twitter

0 comentários: