quinta-feira, 6 de agosto de 2009

QUANDO OS RATOS AUMENTAM O QUEIJO DIMINUI

Filosofando

Todas as quintas
Odion Monte

Esses animais roedores são um inferno por todos os lugares onde estão, sua proliferação é tamanha que chegam a uma quantidade grandiosa, que muitas vezes invadem os celeiros de cereais, as plantações, os esgotos, as residências, e algumas vezes até parte de pequenas cidades, de tamanha rapidez como se prolifera, se tornando uma praga por algumas vezes, e nem os venenos que o homem cria consegue exterminar tal espécie de roedores que incomodam bastante.

Assim são os maus políticos que todos os dias aumenta a quantidade, na busca desesperada de um pedaço de queijo, seja no senado, nas câmaras: Municipais, Estaduais ou Federais, pois assim sentem que sem ser preciso trabalhar, ou nada fazer vão enricar mais rápido, e invadem a tudo, tal qual os ratos, seja pelos meios de comunicação, escrita, televisionada e falada, sem pedir permissão nenhuma, e roubam o voto dos que sem conhecimento nenhum, lhe garanta ser um parlamentar.

Mas esta imensa praga de maus políticos não acaba nunca, não há veneno que os mate, pois quando morre um, vem cem em seu lugar, e a única forma de sermos curados desse grande mau que assola a sociedade, é única, só se terá a cura definitiva através da vacina da educação, onde a sociedade poderá ser mais sensata na escolha dos seus roedores representantes, pois uma vez que tudo acaba em pizza, e pizza é feita de queijo, difícil eliminá-los por completo, sem uma vacina. Assim são esses ratos de plenária, quanto mais aumentam, maior sua fome, e menor o queijo a ser dividido.


Odion Monte - contador, especialista em Filosofia Política pela Universidade de Teologia e Filosofia de Rio Branco - Acre (SINAL).É ainda, especialista em Pericia Judicial – UCG – Universidade Católica de Goiás - Bel. em Ciências Contábeis - FIRB/FAAO/AC
Artigos anteriores:

Enviar para o Twitter

0 comentários: