sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Marina Silva afirma que foi eleita por suas bandeiras


Ex-ministra responde a Dirceu, que criticou o fato da senadora ter mantido o mandato após sair do PT

Carmen Pompeu, especial para o Estado


FORTALEZA - Em resposta às críticas feitas pelo ex-ministro da Casa Civil e deputado cassado, José Dirceu (PT-SP), a senadora Marina Silva, recém filiada ao PV, disse, nesta sexta-feira, 25, em Fortaleza, que foi eleita por suas bandeiras e por isso não entregou seu mandado ao PT quando deixou a legenda.

Marina está em Fortaleza desde quinta-feira, 24, quando proferiu palestra para estudantes de uma faculdade particular. Nesta sexta, concedeu entrevista à Rádio O Povo/CBN, mesmo espaço no qual Dirceu a comparou aos políticos tradicionais por não ter colocado o mandato de senadora à disposição do PT. À tarde, ela acompanha cerimônia de novas filiações ao PV, na Assembleia Legislativa do Ceará.

Fazendo questão de ressaltar que não está candidata à sucessão de Lula "ainda", Marina Silva afirmou que vai percorrer o País realizando encontros para debater a questão do desenvolvimento com sustentabilidade. De acordo com ela, ano que vem, o PV terá sim candidato próprio à presidência da República no primeiro turno.

Ela se colocou contrária ao caráter plebiscitário que alguns políticos defendem para as eleições de 2010. "É legítimo que tenha a candidatura do Ciro (Gomes, deputado federal pelo PSB); que tenha a candidatura do PV; que tenha a candidatura do PSOL, dos partidos que querem se colocar para essa disputa. Não vejo porque termos um plebiscito", disse.

Indagada se ela, ao lado de Ciro Gomes contribuirá para forçar o segundo turno na disputa 2010, reagiu: "Qualquer afirmação desse tipo soaria como arrogância". Para ela, o eleitor deve ser sempre o autor do seu destino. Observou que o fundamental é garantir o debate sobre as questões do País para que a opção possa ser a melhor para todos.

Marina deixou claro que não pretende entrar na disputa pela Presidência como "a candidata do presidente Lula". Mas ressalvou que não fará oposição por oposição. "Existem muitos (candidatos) que estão disputando essa possibilidade de se transformar no candidato do presidente Lula. Eu, obviamente, se for candidata, serei a candidata do PV e não terei nenhuma dificuldade em reconhecer os avanços do governo de presidente Lula e buscar aquilo que acho mais importante, que possamos avançar nessa agenda para o desenvolvimento sustentável do Brasil", comentou.

Perguntada se não temia ser rotulada como candidata de um tema só, por ser referência na luta pelo meio ambiente, respondeu que essa é uma visão equivocada, pois a questão do desenvolvimento com sustentabilidade, segundo ela, passa por diversos aspectos da vida como um todo.

Por diversas vezes, Marina Silva citou a campanha do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, como um bom exemplo a ser seguido. Numa delas, como forma de arrecadar dinheiro para a campanha. "Muitas pessoas contribuíram porque acreditaram nas convicções dele", comentou. Ela também deixou claro que, caso seja candidata, as contribuições para sua campanha terão total transparência. "Faremos um Big Brother", brincou fazendo referência ao reality show.

Enviar para o Twitter

0 comentários: