quinta-feira, 18 de março de 2010

Informações desencontradas



Sinjac não intere no trabalho de jornalistas que cobrem a Aleac




O presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Acre – Sinjac -, Marcos Vicentti, informou nesta quinta-feira, 18, que inexiste qualquer tipo de cadastro para jornalista sem ligação sindical para acessar a área reservada aos profissionais de imprensa na Assembleia Legislativa do Acre – Aleac. “Não existe acordo entre Sinjac e Aleac nesse sentido”, disse Vicentti.


Ontem, o Subsecretário de Publicidade e Comunicação da Aleac, João Roberto Braña, afirmou existir um acordo entre Aleac e Sinjac para liberação de cadastro de jornalistas que optarem realizar a cobertura dos trabalhos legislativos da “Casa do Povo”.


Ainda de acordo com Marcos Vicentti, o Sinjac não intere nas indicações de jornalistas que trabalham na Assembleia. “Isso compete aos editores dos veículos de comunicação”, esclarece.
..

A Assembleia tem dificultado o cadastro do repórter que acorrentou-se em frente à Aleac, José Carlos de Oliveira - que mesmo com o registro profissional da categoria segue proibido de entrar no Salão Azul – local de acesso restrito à imprensa.


A Secretária Geral da Federação Nacional dos Jornalistas – Fenaj -, Maria José Braga, diz que “nenhum órgão público, empresa privada ou entidade pode exigir que o jornalista seja sindicalizado para ter acesso à área restrita à imprensa. Pode-se exigir cadastro prévio, identidade funcional do profissional ou a carteira de jornalista, mas sindicalização não”.


Oliveira informa que vai procurar o Ministério Público para assegurar seu acesso ao Salão Azul.


Leia também:
A institucionalização do preconceito, Assembleia acriana faz manobra para negar cadastro ao repórter “acorrentado”.
Foto extraída do site do Sinjac

Enviar para o Twitter

0 comentários: