sábado, 20 de março de 2010

Deputado compara gastos do carnaval acriano com brasiliense



O deputado estadual Luiz Calixto (PSL) publicou neste sábado, 20, em seu blog - A trincheira - um comparativo dos gastos oficiais com o carnaval de duas unidades da Federação. O Estado do Acre jogou fora R$ 2,5 milhões com uma única festa - o Carnaval Digital no estacionamento do Estádio Arena da Floresta na capital Rio Branco-, enquanto Brasília utilizou R$ 1,5 milhões para promover 22 carnavais.


Em Brasília, os atos de corrupção do governo brasiliense foram denunciados (numa coletânea de vídeos) pelos próprios aliados de Arruda – que segue preso para não atrapalhar as investigações.
..

No Acre, até o momento, não há aliados, nem Tribunal de Contas ou Ministério Público que tenham anunciado uma investigação criteriosa sobre os gastos públicos do Poder estadual.


Na Assembleia Legislativa do Acre – Aleac, o deputado Luiz Calixto solicitou do Governo do Acre a prestação de contas com os gastos do carnaval. Entre as nítidas irregularidades, o deputado destaca a contratação da cantora Fernanda Farani. “O Governo não fez a licitação para contratar a cantora", disse.


“Para contratar artistas, o governo só pode dispensar a licitação nos casos de cantores consagrados como, por exemplo, Ivete Sangalo, Roberto Carlos”, explica Calixto.


De acordo com informações do Diário Oficial do Estado, Farani recebeu R$ 300 mil através de um contrato irregular firmando no dia 12 de fevereiro por meio da agência de viagens Kampa.

“Contratos dessa natureza devem ser firmados diretamente com o empresário do artista. No caso de Fernanda Farani foi por meio da kampa”, prossegue Calixto com as explicações.


A sociedade pagadora de impostos precisa saber: como, onde e por que foram gastos R$ 2,5 milhões com o carnaval de Rio Branco.
..
Leia também:

Enviar para o Twitter

0 comentários: