quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Câmara aprova fundo para combater mudança do clima

A Câmara aprovou ontem (28) a criação do Fundo Nacional sobre Mudança do Clima, que terá recursos de R$ 720 milhões por ano para serem usados em projetos para enfrentar o aquecimento global.

Pela proposta, que ainda precisa ser votada no Senado, o fundo será administrado pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e poderá receber doações de empresas privadas nacionais e internacionais.

A ideia é que o projeto seja aprovado até o fim de novembro para que presidente Luiz Inácio Lula da Silva leve a proposta como um trunfo para a reunião sobre meio ambiente, em Copenhague.

O projeto de lei estabelece que os recursos do fundo poderão ser utilizados em projetos para reduzir o desmatamento e a degradação florestal e naqueles que tratam de desenvolvimento tecnológico. Pela proposta, os recursos também serão utilizados para pagamento por serviços ambientais.

Hoje, os recursos dos royalties do petróleo que vão para o Ministério do Meio Ambiente só podem ser usados em caso de desastres ecológicos. "Quando não tem nenhum acidente, nenhum desastre, esse dinheiro acaba voltando para o caixa do governo", afirmou Thame.

Segundo ele, o Meio Ambiente gastou no ano passado apenas R$ 50 mil dos recursos dos royalties. Este ano já foram repassados o Ministério R$ 1,191 bilhão referente aos royalties e a participação especial pela exploração do petróleo e de lavras minerais.

O Fundo Nacional sobre Mudança do Clima é um complemento do Plano Nacional sobre Mudanças Climáticas, aprovado anteontem na Câmara e também à espera de análise dos senadores. O Plano estabelece, entre outras coisas, como instrumento de combate ao aquecimento global que a área de plantio de arvores deve passar, até 2020, de 5,5 milhões de hectares para 11 milhões. Destes, dois milhões serão com espécies nativas e o restante com espécies exóticas.

Enviar para o Twitter

0 comentários: