sábado, 21 de novembro de 2009

É da nossa conta




Trânsito: falta transparência e respeito à vida



Além da ausência de preocupação por parte das autoridades com os crescentes acidentes que têm ocorrido diretamente em razão das rotatórias mal planejadas.



Como no caso da rotatória da Vila Acre, fincada na recém duplicada AC-40 que dá acesso ao município de Senador Guiomard – Quinari. No local, segundo populares, já foram registrados três graves acidentes. Um ataque direto ao direito à vida.



A falta de transparência com dinheiro público é outro agravante. No segundo distrito de Rio Branco – logo após à travessia da ponte metálica –, mais uma obra de trânsito está em andamento. No entanto, não existe nenhuma placa que informe o valor da obra, a fonte dos recursos e a empresa que executa o serviço.



O poder público municipal gasta em média 17 mil reais para construir cada parada de ônibus – que são de madeira. Daí poderíamos imaginar o quanto devam gastar com as rotatórias e suas ornamentações.



As rotatórias deveriam facilitar o trânsito e evitar acidentes. Se o contrário tem sido registrado, funciona como um alerta para que o poder público - seja municipal, estadual ou federal - faça um re-planejamento de suas ações no trânsito e, é claro, informe o valor da conta.

Enviar para o Twitter

0 comentários: