sexta-feira, 28 de maio de 2010

Polícia Federal e Anvisa lacram farmácias e apreendem drogas e medicamentos falsificados


PDF Imprimir E-mail
Escrito por Tião Vitor

delegados_da_pf_e_anvisaUma operação realizada em conjunto por fiscais da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e agentes da Polícia Federal apreendeu remédios falsificados e contrabandeados, drogas, receitas para medicamentos controlados assinadas, e lacrou farmácias e drogarias em Cruzeiro do Sul, Capixaba, Assis Brasil, Epitaciolândia e Rio Branco.

A operação, denominada Operação Castro, iniciou na terça-feira. De acordo com o delegado Aguinaldo Mendonça Alves, a Anvisa fez a fiscalização nos estabelecimentos e quando foram registradas situações de flagrante, os policiais federais entraram em ação. Em Capixaba não aconteceu situação de flagrante, mas, de acordo com o delegado, todas as farmácias foram fiscalizadas. Em Epitaciolândia e Assis Brasil aconteceu uma prisão em flagrante em cada cidade. Em Cruzeiro do Sul foram feitas três prisões em flagrante. “Basicamente, os delitos registrados são os do artigo 273, parágrafo primeiro e parágrafo primeiro B, que é o de falsificação de medicamentos e a posse de medicamentos contrabandeados”, explicou Agnaldo Mendonça. “Também foi constatado o tráfico de drogas, que se caracteriza a venda de medicamentos controlados sem a devida obediência da legislação”, completou.

Em Rio Branco a operação ainda se segue. Durante toda a tarde de hoje e o dia de amanhã, os fiscais e policiais percorrem as drogarias da cidade a procura de irregularidades. Até o fim da manhã de hoje, três pessoas já haviam sido presos. Todos foram encaminhados para a Superintendência da Polícia Federal onde foi lavrado o laudo de prisão em flagrante. Logo após foram encaminhados ao presídio.

Os principais medicamentos falsificados encontrados são aqueles usados para o tratamento de disfunção erétil, similares ao Viagra e ao Ciales, que têm venda autorizada no Brasil.

De acordo com o fiscal da Anvisa, Marcel Figueira, o uso desses medicamentos pode trazer sérios riscos à saúde. Em alguns casos, alerta ele, o medicamento tem um percentual de princípio ativo de até 300% a mais do que o que deveria conter. “Uma superdosagem pode provocar um infarto do miocárdio ou mesmo uma doença chamada de priaprismo, que é quando ocorre uma ereção contínua e muito dolorida do pênis. Quando isso ocorre, a vítima pode, inclusive, perder o pênis ou ficar impotentes para o resto da vida”, alertou o fiscal.

Marcel disse que a Anvisa tem feito operações como essa em conjunto com a Polícia Federal desde o ano de 2008. A maior parte das apreensões é de medicamentos para disfunção erétil, medicamentos injetáveis, medicamentos injetáveis vencidos, medicamentos de uso exclusivo de hospitais, medicamentos tarja-preta em depósito irregular e medicamentos falsificados. “Temos feito muitas interdições de caráter cautelar, porque a farmácia, além de vender medicamentos falsificados, está em péssimas condições sanitárias”, disse.

A Anvisa e Polícia Federal investigam se há algum grande distribuidor de medicamentos do Estado envolvidos. Marcel disse que a quantidade de medicamentos apreendida até agora é muito grande. Na segunda-feira será divulgado um relatório informando o quanto de medicamentos foi apreendidos e quantas pessoas foram presos.

De acordo com o delegado Richard Murad Macedo, ressaltou a importância da parceria com a Vigilância Sanitária. Ele disse que o caso é grave, pois se trata de saúde pública e que a ação que se desencadeou no Acre tem o objetivo de proteção da saúde e da vida. “Nos queremos evitar que o comércio do Acre comercialize, de alguma forma, medicamentos falsificados, pratique tráfico de drogas, através da venda indiscriminada de medicamentos de uso controlado. Esse é basicamente o objetivo criminal dessa operação”, afirmou.

Enviar para o Twitter

1 comentários:

Anônimo disse...

http://site.ru - [url=http://site.ru]site[/url] site
site