terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Previsível

Empresários dizem a Temer que não aceitam redução de carga horária

pós reunião com o presidente da Câmara, Michel Temer, o vice-presidente da Federação das Indústrias de São Paulo, Roberto Della Manna, e o presidente da Confederação Nacional da Indústria, deputado Armando Monteiro (PTB-PE), disseram há pouco que não há possibilidade de os empresários aceitarem a redução da carga de trabalho para 40 horas, prevista na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 231/95.

“Não há possibilidade nem mesmo de haver uma redução gradativa, a cada ano”, afirma Della Manna. “Se houver a redução da jornada vai haver desemprego no País”, acrescenta Armando Monteiro.

Solução alternativaO presidente Michel Temer disse que vai propor uma solução alternativa, que faça uma mediação entre as duas partes – trabalhadores e empresários. “Será algo gradativo, para que não haja aumento da hora extra, mas que atenda tanto os empresários quanto os trabalhadores”, disse Temer. Um dos pontos previstos, segundo Temer, seria uma compensação fiscal ao empresariado, o que envolveria um acordo com o governo. Nada está definido, por enquanto.

Temer informou ainda que vai chamar as lideranças ligadas aos trabalhadores para encontrar essa solução alternativa. “Vou tentar uma solução consensual”, ressaltou.
O encontro com os líderes que defendem as posições dos trabalhadores ainda não está definido. Tampouco está definida, segundo o presidente, a data para a votação da redução da carga de trabalho.
Agência Câmara
Newton Araújo

Enviar para o Twitter

0 comentários: