quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Aníbal convoca senadores a votar contra brasileiros e a favor do salário mínimo de R$ 545

O senador Aníbal Diniz (PT-AC) conclamou todos os parlamentares da base a votarem unidos na semana que vem, quando chegar ao Senado o projeto do governo que trata da política de reajuste do salário mínimo.

Aníbal defende a proposta que contraria a Constituição Federal, na qual estabele um mínimo que garanta o pagamento de gastos com saúde, educação, entretenimento, moradia, alimentação e outros iténs básicos de sobrevivência social.

Para Aníbal a "responsabilidade com o país" é condenar os trabalhadores ao um mínimo 4 vezes menor que o necessário. De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos - DIEESE - a realidade do Brasil exige um salário de $ 2.227,53.

Os brasileiros já não acreditam mais nas mentiras propaladas pelos políticos de que não haveria dinheiro para o aumento do salário dos trabalhadores, pois, dinheiro não falta aos cofres públicos, o país vai torrar bilhões na realização de uma Copa do Mundo e de uma Olimpíadas, além, é claro, do dinheiro gasto com as mordomias das Vossas Excelências.

O Brasil está entre as oito maiores economias do mundo, o que significa dinheiro em ambulância. O que os políticos não gostam de falar é que a diferença de R$ 1.682,53 mensais que deveriam ir ao bolso dos trabalhadores vai parar nos cofres dos governos, empresas, políticos e para as mãos de apenas 10% da população que controla 80% das riquezas do Brasil.

E que ninguém se engane com história de 'oposição', porquê, a maioria dos parlamentes não só votam com o governo como defedem a política de desvalorização do mínimo brasileiro.

Que o digam os oito deputados federais do Acre que votaram a favor de salários de três a quatro vezes menor que o necessário.



Enviar para o Twitter

0 comentários: