sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

RESERVA CHICO MENDES, OS BOIS SALVAM.

Ouça aúdio.

Por Edmilson Alves

“Hoje estaria paralítico, teria perdido os braços ou teria morrido”. Osmarino Amânzio se diz “salvo” pela criação de gado dentro da Reserva Chico Mendes.
Os seringueiros sem alternativas econômicas e sem auxílio para promoção da saúde se sentem abandonados pelo Estado.

“A reserva extrativista é uma forma que nós descobrimos de se fazer uso racional da terra. Você pode plantar culturas permanentes, você pode continuar a extração da borracha, da castanha, de outros produtos extrativistas, inclusive aí se inclui também a questão das árvores medicinais e tanta riqueza que existe nessa mata. Pode-se usá-la e ela pode servir como uma forma de industrialização e se tornar uma região com um grande potencial econômico para o país.”

O parágrafo acima é uma citação do próprio Chico Mendes descrevendo o que considerava ser a função da reserva extrativista.

Em dezembro de 2008, 20 anos depois do trágico assassinato de Mendes. A industrialização da reserva não veio. O estudo das plantas medicinais também não. E a extração da borracha, da castanha tornou-se tão desestimulante que pouco a pouco, estão sendo substituídas pela criação de gado. Logo a pecuária que teria sido o pivô da morte de dezenas de seringueiros que ousaram sonhar e lutar por um novo modelo de sociedade.

A seguir entrevista exclusiva, em áudio, com Osmarino Amânzio Rodrigues – Atual presidente do Partido Socialismos e Liberdade – PSOL no Acre, ex-líder sindical, fundador do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Brasiléia, organizou juntamente com o lendário Wilson Pinheiro, o primeiro empate – maneira pacífica pela qual se impedia que floresta fosse destruída.

A chuva persistia em Rio Branco, na antevéspera do natal, 23, eram 11 horas quando me dirigia à vila de apartamentos do Conjunto Manoel Julião. Fui recebido por Keyla Roberta, administradora de empresas, militante do PSOL. Lá encontraria Osmarino Amâncio, um dos responsáveis, juntamente com Chico Mendes, pela organização do movimento de seringueiros que sonhavam em ter uma sociedade comunista no Acre. Sem divisão de classes, patrão ou propriedade privada. Pelo menos a última viram tornar realidade. A criação de Reservas Extrativistas – onde não existe título de terra. Ela é de uso comum de todos que a habitam.

1- Dia 23 de dezembro de 1988. O dia do enterro.

“Nas discussões que a gente fazia com o Chico ele sempre dizia que ao tombar [morrer] algum companheiro isso não deveria ser motivo pra esfacelamento dos demais que ficassem. Os que fossem ficando teria que dar continuidade, só não poderia haver a traição”.

Ouça aúdio.

2 – Quem teria se beneficiado com o morte de Chico Mendes?
“Eu não diria que só o Lula, ou só Jorge Viana, ou só o Tião Viana (Senador) foram beneficiados. Eu diria que o sistema, as multinacionais, as madeireiras, o grande latifúndio improdutivo, eu acho que o capitalismo foi o grande beneficiado. Porque a partir da morte do Chico, virou marketing essa coisa ecológica, a coisa ambiental, a coisa da Amazônia”.

Ouça aúdio.

3 - Desenvolvimento sustentável no Acre.
“É vetado nos meios de comunicação, você discordar do desenvolvimento sustentável colocado pelo Governo da Floresta”.

Ouça aúdio.

4- Marina Silva

Enviar para o Twitter

0 comentários: