quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

20 ANOS DEPOIS. Jorge Viana, Tião Viana e Lula ganharam com morte de Chico Mendes. Diz Darcy e Osmarino.


Condenado como mandante do crime que pós fim a vida do seringueiro Chico Mendes, Darly Alves, aos 73 anos de idade - cumpri prisão domiciliar em sua fazenda Paraná, na BR-317 em Xapuri (AC), declarou em entrevista ao jornalista acreano, Altino Machado que a publicou em seu blog, dia 22, que os grandes beneficiados com a morte do ambientalista Mendes foram o ex-governador Jorge Viana e o presidente Lula. “Eu continuo sofrendo até hoje, quer dizer, para ajudar os políticos, ajudar o Lula, o Jorge Viana. Ajudar a todos aí. O canal de dinheiro foi eu e o Chico Mendes. Chico Mendes foi um mártir e eu também. Diz Darly que acrescenta que a história poderia ter sido diferente, pois ele procurou o sindicalista para o diálogo, “chamei ele para nós ser amigos. Procurei autoridades para conversar com ele e ninguém me ajudou. Fizeram o mal para ele e me colocaram como instrumento”.

Luis Inácio Lula da Silva à época, já se destacava como uma das figuras mais importante do Partido dos Trabalhadores – PT e chegou a participar do movimento dos seringueiros acreanos. O próprio Lula afirmou, em seu programa Café com Presidente, transmitido neste 22 de dezembro, que conheceu Chico Mendes em 1980 e que daí teve uma forte relação política com o acreano de Xapuri.

Jorge Viana só apareceria bem mais tarde. “O Jorge Viana teve a sensibilidade de se promover [sobre movimento dos seringueiros/Chico Mendes] ... ...deturpou todo o movimento”. Diz o militante Osmarino Amâncio, um dos responsáveis, juntamente com Chico Mendes, pela organização dos empates – como era conhecida a maneira de impedir, pacificamente, que a floresta fosse destruída para dar lugar ao pasto do gado. Em gravação com mais de uma hora de duração, para este blog, ontem 23, Osmarino detalha questões delicadas, como ele mesmo define: “tentaram pintar ele [Chico Mendes] de ecologista. Uma liderança sindical que tinha uma postura socialista, uma postura sindicalista, que lutava contra o latifúndio”.




20 anos depois da morte do líder sindicalista Chico Mendes. Revelam-se os beneficiados com morte do “Homem da Floresta”. Segundo personagens com envolvimento direto naquele fatídico dia 22 de dezembro de 1988.


Darly Alves – condenado como mandante do assassinato de Chico Mendes.
“Eu continuo sofrendo até hoje, quer dizer, para ajudar os políticos, ajudar o Lula, o Jorge Viana. Ajudar a todos aí. O canal de dinheiro foi eu e o Chico Mendes. Chico Mendes foi um mártir e eu também.


Osmarino Amâncio, seringueiro, amigo íntimo de Chico Mendes:

“Eu não diria que só o Lula, ou só Jorge Viana, ou só o Tião Viana (Senador) foram beneficiados. Eu diria que o sistema, as multinacionais, as madeireiras, o grande latifúndio improdutivo, eu acho que o capitalismo foi o grande beneficiado. Porque a partir da morte do Chico, virou marketing essa coisa ecológica, a coisa ambiental, a coisa da Amazônia.

Enviar para o Twitter

0 comentários: