domingo, 12 de junho de 2011

Ufac e Enem, o equívoco da ignorância

Acertadamente, a Universidade Federal do Acre – Ufac -  escolheu o Exame Nacional do Ensino Médio – Enem – como forma exclusiva de acesso às vagas de seus cursos, porém,  a pretexto de uma falsa defesa “dos interesses acrianos” uma parcela de políticos retrógrados está se articulado para impedir que a universidade local funcione como os seus pares, país afora.

Oras, vestibular, nos moldes do realizado pela Ufac até o ano passado é a forma mais primitiva de acesso ao ensino superior e o Brasil é um dos poucos países no mundo há -  ainda  - realizar uma competição que valoriza a decoreba em detrimento do poder de reflexão e senso crítico que marca o Enem, um exame compatível com o conhecimento que se é exigido pelo mundo globalizado.

Os acrianos não podem terem medo de competir com os alunos de outros estados, pelo contrário, devem compreender que estão inseridos na globalização, na qual a concorrência é cada vez mais acirrada e o comodismo somente os levará ao fracasso material. 

Querer isolar os nossos estudantes da competição proporcionada pelo Enem é privar o alargamento de seus conhecimentos. Quebrar um computar por não saber manuseá-lo só piora a situação, seria mais prático dedicar-se a estudar o seu funcionamento e dominar as suas ferramentas. 

Portanto, senhores da ignorância, vamos preparar nossos estudantes para o Enem, isolar-lhes do conhecimento crítico, reflexivo e globalizante é como quebrar computadores por pura estupidez.

Enviar para o Twitter

0 comentários: