quarta-feira, 2 de março de 2011

Referendo 'vira' prebiscito

As novelas da Globo são mais importantes que os acrianos

Para o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) o referendo do fuso horário do Acre teve efeito plebicitário, ou seja, foi uma consulta válida, mas que antecede a uma nova lei que ainda deverá ser editada pelo Congresso, apesar de promessas de rápida tramitação, o projeto pode ficar nas gazetas do parlamento por tempo indeterminado.

Demóstenes é um senador de oposição ao governo Dilma e tem aparições garantidas na Rede Globo que luta obstinadamente contra o crescimento continuado da Rede Record que por sua vez tem apoio explícito do governo do PT, a emissora ligada a Igreja Universal teve seu maior crescimento financeiro durante o governo do ex-presidente Lula da Silva.

A mudança de horário do Estado do Acre, parte do Amazonas e Pará envolve uma briga entre a Globo e a Justiça que obriga as emissoras de televisão a respeitarem uma faixa classificativa no horário de acordo com a idade de crianças e adolescentes tendo como referência a hora de cada Estado brasileiro. A solução encotrada pela TV que silênciava-se diante dos extimínios humanos da Ditadura Militar foi alterar a hora do Acre ao invés de modificar sua programação ou retirar cenas de pornografia sexual exibidas em suas novelas.

A Justiça não proíbe a exibição de jogos nem tele-jornais ao vivo. Mas as tevês chegam a gravar determinados contéudos em represália aos acrianos que se rebelaram contra a mudança na hora do Estado.

Ao julgar pelo poder de lobby da TV Globo, é difícil acreditar que os acrianos tenham seu horário de volta com a rapidez que garante o petista Jorge Viana (30 dias). Afinal, com uma pequena população de aproximadamente 700 mil habitantes, o Acre não parece ter importância diante dos números de audiência das novelas que ditam regras de comportamento social dos brasileiros.

É como disse Jorge Viana: "A mudança de horário do Acre é de questão nacional".

Enviar para o Twitter

0 comentários: