sexta-feira, 9 de julho de 2010

Anvisa propõe exigência de álcool gel em clínicas e hospitais


Hospitais e clínicas de todo país deverão disponibilizar preparações alcoólicas para que profissionais de saúde higienizem as mãos. É o que prevê a Consulta Pública 68/2010, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que estabelece também como as formulações devem estar disponíveis para os profissionais: nas formas gel, líquida, espuma, entre outras.


Com essa medida, a Agência pretende aumentar a adesão dos profissionais de saúde ao procedimento de higienização das mãos. A Anvisa estima que, no Brasil, a adesão dos profissionais (médicos, enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e outros) à higiene das mãos seja aproximadamente 40%, uma taxa considerada baixa. “A higienização das mãos é o procedimento mais importante e menos dispendioso para evitar a transmissão de infecções relacionadas à assistência à saúde”, afirma a chefe da Unidade de Investigação e Prevenção de Infecções e Eventos Adversos da Anvisa, Janaína Sallas.


A proposta da Anvisa exige que a preparação alcoólica para as mãos seja colocada nos pontos de assistência e tratamento, salas de triagem, salas de pronto atendimento e unidades de urgência e emergência. Além disso, o produto deverá ser disponibilizado em ambulatórios, clínicas e consultórios de serviços de saúde, serviços de atendimento móvel e nos locais em que são realizados quaisquer procedimentos invasivos.


Os dispensadores contendo as preparações alcoólicas deverão ficar em lugar visível e de fácil acesso, à beira do leito do paciente, de forma que os profissionais de saúde não necessitem deixar o local de assistência de tratamento para higienizar as mãos. “A idéia é que os profissionais de saúde tenham acesso ao produto nos cinco momentos preconizados pela Organização Mundial da Saúde para higienização das mãos: antes de contato com o paciente, após o contato com o paciente, antes da realização de procedimentos assépticos, após exposição à sangue e outros fluidos corporais e após contato com ambiente próximo ao paciente”, orienta Janaína.
A representante da Anvisa explica, ainda, que apesar de algumas clínicas e hospitais já disponibilizarem o produto para higienização das mãos, o procedimento não é obrigatório. “Somente após a publicação da norma, haverá de fato a obrigatoriedade dessa disponibilização”, diz Janaína.


O serviços de saúde terão 180 dias para se adaptarem às exigências da Anvisa. A instituição poderá optar por preparação alcoólica adquirida comercialmente, devidamente regularizada junto à Agência, ou produto manipulado em farmácias hospitalares e magistrais, em conformidade com as exigências sanitárias vigentes.




Padrão ouro


Evidências científicas mostram que a preparação alcoólica para as mãos apresenta maior eficácia, quando comparada à água e ao sabonete líquido, para higienização das mãos. Sendo assim, a Organização Mundial da Saúde tem priorizado o uso de preparações alcoólicas como padrão ouro para esse procedimento.


Anvisa

Enviar para o Twitter

0 comentários: