quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Presente de natal para nós, os brasileiros i...

Em menos de 5 minutos, o Senado aprovou o projeto salarial recebido da Câmara. Ajuste varia de 61,8% a 133,9%
Por aqui, nada de passeatas, apitasos, panelasos, estudantes na ruas. Isso é coisa de países onde a educação básica é universalizada, como Argentina, França, EUA, etc. No Brasil, o sistema educacional deseduca e desencoraja a cidadania, que o diga o governador Binho Marques que de acordo com dados do Ipea deixa o governo com um número maior de analfabetos de até 15 anos do que havia encotrado antes de assumir o poder. A 'educação' do vamos construir prédios e dizer que aquilo é escola é a mola mestra de gestões descompromissadas com o ensino igualitário e de qualidade. Pobres de nós, os brasileiros i...


Os deputados aprovaram o reajuste salarial para congressistas, ministros, presidente e vice-presidente da República. Passarão a receber salários iguais, o mesmo dos ministros do STF: R$ 26,7 mil mensais, em tese, a mais alta remuneração do serviço público. Os mandachuvas do Executivo e do Legislativo não recebiam aumento desde 2007. De lá para cá, acumulou-se uma inflação de 20%. O aumento será, porém, muito acima desse índice.

Congressistas, por exemplo, recebem hoje R$ 16,5 mil. Para eles, o aumento salarial será de 61,8%. Um sonho para milhares de trabalhadores brasileiros. Presidente e vice embolsam mensalmente R$ 11,4 mil. Aqui, o aumento será de 133,9%. Exceto pelo PSOL, que defendia apenas a reposição do que a inflação engoliu, todos os demais partidos disseram “sim” ao aumento. O projeto seguiu para o Senado e em menos de 5 minutos, a casa aprovou o projeto salarial recebido da Câmara. Ouviram-se três escassas vozes contrárias: Marina Silva (PV-AC), Álvaro Dias (PSDB-PR) e José Nery (PSOL-PA).

Enviar para o Twitter

0 comentários: