sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Pequeno gênio



Acriano vai estudar em uma das melhores escolas de ensino básico do país; Um lugar onde professores ganham R$ 9 mil mensais



A escola do SESC de ensino médio, bairro de Jacarepaguá no Rio de Janeiro, tem ensino gratuito e integral com 80% de vagas reservadas para alunos de famílias com renda abaixo de cinco salários mínimos. A seleção dos discentes é rigorosa e realizada em todo o país. O acriano Westerbly Snaydley Pessôa Cardoso, 13 anos, que acaba de concluir a oitava série do fundamental na Escola Kairala José Kairala de Brasileia passou nos testes e vai integrar o seleto grupo daquela instituição que é modelo de qualidade na educação.

O SESC escola funciona em regime residencial com professores e alunos morando dentro das instalações do campus. As aulas vão das 8h às 12h e das 13h45 às 17h. Das 13h às 13h45 é reservado a encontro entre aluno e orientador. Das 17h às 20h30, fazem oficinas de idiomas, artes, esportes, debates sobre atualidade. Entre 20h30 e 22h, é tempo obrigatório de estudos: dever de casa, leitura livre, assistir ao noticiário com orientação do professor e outras atividades. Respeitando-se todos os intervalos para refeições e lanches, às 22h30 é hora de dormir.

“Os professores têm salário ao redor de R$ 9 mil e apartamento dentro do campus, para viver com a família. Mas exige-se deles dedicação exclusiva, integral e permanente aos alunos. A seleção é rigorosa, com base no currículo, na experiência e principalmente na manifestação de entusiasmo e envolvimento. São 80 professores para turmas de, no máximo, 15 alunos. Não é surpresa que alunos e professores constituam uma espécie de grande família envolvida com alegria, competência e rigor na educação de todos”, diz o senador Cristovam Buarque, um político obcecado por inserir o Brasil no mundo da educação de qualidade.

O acriano Westerbly Snaydley que deve dividir um alojamento com mais dois estudantes no SESC Escola foi medalha de prata nas Olimpíadas Brasileira de Matemática das Escolas Públicas – OBMEP -, edição 2009 e aguarda os resultados da etapa 2010, o acriano é a esperança de que o Acre tenha a primeira medalha de ouro nas OBMEP.


Leia também:
À espera do ouro, Conheça o acriano que pode nos trazer a medalha de Ouro das Olimpíadas de Matemática
Campeão a bordo, Único aluno do Acre com medalha prata nas Olimpíadas de Matemática embarca para o Rio de Janeiro

Enviar para o Twitter

0 comentários: