quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Analfabetos são os brasileiros que mais pagam impostos

Acre, o melhor lugar é aqui. Quem paga a maior fatia pela publicidade estatal não consegue ler a frase propagada pelo Governo do Acre

Segundo estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), 93% dos analfabetos estão concentrados na faixa de renda de até dois salários mínimos – algo que os colocam como os brasileiros que mais pagam impostos em todo o país.

De acordo com tabela divulgada pelo sociólogo Carlos Alberto Almeida, autor da obra “O dedo na ferida: menos impostos, mais consumo” (Record, 2010), os brasileiros que ganham até R$ 1.020,00 mensais pagam ao governo mais da metade daquilo que recebem, cerca de R$ 550,00.
.
Enganam-se os beneficiários do Bolsa Família que pensam obter um “ganho” do governo. Será que vale a pena pagar R$ 550,00 de impostos e receber de volta apenas R$ 90,00? E a maioria que nem recebe o Bolsa?
.
Ao encerrar sua gestão frente ao Governo do Acre, neste dezembro de 2010, o governador Binho Marques, mandou divulgar - em caríssimos outdoors - a frase: “Acre, o melhor lugar é aqui”, as letras são bem pequenas e as imagens ocupam grande espaço, parece que Binho fez assim de propósito, já que os iletrados não sabem mesmo o que ali está escrito, e, ainda, com o agravante de desconhecerem que são eles os que pagam a maior fatia, proporcionalmente, pela propaganda estatal.

No Brasil, há um grave problema tributário no qual os mais ricos deveriam pagar mais impostos, mas não pagam. O pobre paga mais impostos e trabalham mais, em contrapartida são os que menos recebem assistência governamental.

Jorge Viana, ex-governador do Acre, recebe e Binho Marques receberá uma fantástica assistência do governo, cerca de R$ 20 mil mensais. Metade deste valor retorna ao governo em forma impostos? Não, amigo. A lógica brasileira funciona com o Robin Hood ao contrário – por aqui, Hood tira dos pobres para dar aos ricos. O Robin Hood que pega dos ricos para dar aos pobres, só existe em países Europeus e em até certo grau nos Estados Unidos.

A redução do analfabetismo entre brasileiros com 15 anos ou mais tem acontecido de maneira lenta e permanece um grave problema para o país, é a herança Lula para educação. Afinal, quem estuda menos, paga mais impostos - um negócio lucrativo para os políticos.

A análise, feita com base nos dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostragem de Municípios) 2009, foi divulgada nesta quinta-feira (9).


Pró-jovem, mesmo pagando R$ 100,00 para que brasileiros estudem, é um fracasso

Segundo o Ipea, a lenta redução do analfabetismo "se deve à incipiente inserção nos programas de alfabetização de jovens e adultos, assim como à sua baixa efetividade".


Adaptado de texto UOl notícias

Leia também:


Acre e Amazonas tem péssimo desempenho em avaliação internacional de educação

Segundo IPEA, aumenta o número de analfabetos no Ac


Enviar para o Twitter

0 comentários: