sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Acusado de matar membros de “igreja do chá” não pode ser punido por ser louco


O acusado de matar em março deste ano o cartunista Glauco Vilas Boas e seu filho Raoni, Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, não responde por seus atos, afirma laudo de exame psiquiátrico divulgado nesta sexta-feira (3) pela Justiça Federal no Paraná. Isso faz com que Cadu, como o Sundfeld é mais conhecido, seja inimputável.

O cartunista Glauco Vilas Boas, de 53 anos, e seu filho Raoni, de 25 anos, foram assassinados na madrugada de 12 de março deste ano, em Osasco, na Grande São Paulo. O crime ocorreu em frente da chácara onde as vítimas moravam. Pai e filho eram membros da igreja Céu de Maria, que utiliza o Chá de origem do Daime em suas cerimônias. Em depoimento, Cadu contou ter matado Glauco por questões de desavenças religiosas.

R7.

Enviar para o Twitter

0 comentários: