terça-feira, 8 de novembro de 2011

Major Rocha diz ter informações de que seu telefone está grampeado

Em pronunciamento nesta terça-feira, 8, o deputado Major Rocha (PSDB) afirmou ter informações de que seu telefone está sob escuta do Sistema de Inteligência de Segurança Pública do Estado do Acre (Sispac). Ele falou logo após discurso do deputado Jamyl Asfury (DEM) que colocou o Sispac em discussão.

De acordo com o deputado, quem monitora o sistema são policiais militares, alguns deles seus amigos que lhe informaram sobre o grampo em seu telefone, “Estamos vivendo uma ditadura”, disse Rocha, afirmando que também está com prisão disciplinar pedida pela Corregedoria da PM. “Querem acabar com a imunidade parlamentar, tirar um deputado daqui e levar para a cadeia”, comentou.  Rocha pediu ao deputado José Luis Tchê (PDT), presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale) que intervenha contra o pedido de prisão.

Rocha adiantou que já entrou com pedido de Habeas Corpus preventivo e que não vai se submeter. “Se a intenção é calar a minha voz eu vou mais fundo ainda. O Acre está envolto num mar de lama”, afirmou.


Madeireira

O deputado Major Rocha também fez pronunciamento defendendo manifestantes que pedem a escritura de uma madeireira localizada no novo Distrito Industrial de Rio Branco. “O governo diz que quer gerar emprego, mas temos aqui pessoas que têm emprego e não podem trabalhar. Vivemos uma ditadura pior e gerida por aqueles que diziam combater a ditadura. Isso é o cúmulo do absurdo”, disse.

João Maurício

Enviar para o Twitter

1 comentários:

Anônimo disse...

Essa de grampear telefone nesse governo dos corruPTos por acsaso é novidade. Nós aqui no Acre estamos sob o ímpério dos fora da lei. A Justiça é cega, surda e muda. Tem a venda nos olhos para não enxergar os mal-feitos dos corruPTos que governam o nosso Estado. Isso é uma vergonha, magistrados!!!