sexta-feira, 24 de abril de 2009

Campanha de vacinação de idosos começa sábado

Mônica Araújo

Com o slogan “Deixe a gripe na saudade. Vacine-se!”, a 11ª Campanha Nacional de Vacinação do Idoso mobiliza, de 25 de abril a 8 de maio, as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde e o Ministério da Saúde para a vacinação contra a influenza na população acima de 60 anos, em todo território brasileiro. O objetivo principal é reduzir entre os idosos a morbi-mortalidade e as internações causadas pela doença.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE-, a população idosa do Acre é de aproximadamente 42.241, e a meta da campanha é a vacinação de 33.793 pessoas de 60 anos ou mais, correspondendo a 80% de cobertura em todo o Estado. Em 2008, foram vacinados 36.595 idosos, mais de 93% de cobertura, superando a meta de 80% preconizada pelo Ministério da Saúde.

De acordo com a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Maria Auxiliadora de Holanda, para garantir a vacinação da população-alvo haverá mais de mil profissionais de saúde do Estado e municípios, 291 postos fixos e móveis e 122 transportes, entre terrestres e fluviais.

“A campanha de vacinação do idoso se repete desde 1999, concretizando um compromisso de fazer chegar, o mais próximo possível da população, meios efetivos de promoção à saúde, contribuindo para a prevenção de agravos que interferem no bem-estar e qualidade de vida, não só dos idosos, mas de toda a população do nosso Estado”, ressalta a coordenadora.

Para Maria Auxiliadora, é importante que a população idosa atenda ao chamado, “mesmo quem já foi vacinado nos anos anteriores deve se vacinar novamente, pois a validade da vacina é de um ano”.

Também conhecida como gripe, a influenza é uma infecção do sistema respiratório, cuja principal complicação são as pneumonias, responsáveis por um grande número de internações hospitalares no país. É maior a gravidade entre os idosos, pois estes possuem menor resistência à infecção, correndo risco de adquirir outras complicações devido ao maior tempo de permanência em internações.

Constituída por vírus inativados (mortos) a vacina contra a influenza é segura, não causa a doença, mas como acontece nas demais vacinas, alguns eventos adversos podem surgir, como febre baixa e reações locais (dor, endurecimento e vermelhidão). Raramente, podem ocorrer coriza, vômitos e dores musculares.

A vacina contra a influenza não deve ser administrada em: pessoas que apresentem alergia grave ao ovo de galinha (choque anafilático) e pessoas que já desenvolveram a síndrome de Guilian-Barré (enfermidade rara, na qual o organismo perde células do sistema nervoso, resultando em flacidez muscular e paralisias, podendo durar por semanas ou meses).

Enviar para o Twitter

0 comentários: